sábado, 19 de novembro de 2016

Passarinhada em Paranapiacaba
(01/07/2016)

  Situada na cidade de Santo André e cercada por Mata Atlântica, a região de Paranapiacaba é provavelmente a área do nosso município com a maior diversidade de espécies de aves, sendo assim , um local propicio para desenvolver o birdwatching, neste post irei mostrar algumas espécies fotografas lá no inicio do mês de Julho, durante o auge do inverno:



  A primeira espécie a aparecer foi a narceja ( Galinalgo paraguaiae), logo no inicio da estrada, onde nas bordas predomina vegetação de brejo, onde esta espécie costuma frequentar, muito desconfiada, a qualquer sinal de perigo, ela se ajoelha na lama para se camuflar no solo, como podemos ver na foto acima.


  Após se aproximar da vila, na área onde a mata faz divisa com as casas, encontramos este casal de sabiá una ( Turdus flaviceps) buscando alimento, nesta espécie, o dimorfismo sexual é bem evidente, onde o macho é cinzento com reminges e cabeça negras, patas e bico amarelos, já a femea possui coloração castanha, pata e bicos escuros.


  Outra surpresa que tivemos foi o encontro com o miudinho ( Myiornis auricularis), que, com seus incríveis 7 centímetros, é o menor passeriforme da mata atlântica e o segundo menor passeriforme do Brasil, seu chamado lembra o som emitido por algum tipo de inseto, passando assim, muitas vezes despercebido.  


  Outra espécie que é muito abundante nas nossas matas e capoeiras é o jacuaçu ( Penelope obscura), ave de grande porte que vasculha a copa das arvores e o chão da floresta em busca de frutos, seu principal alimento, no inverno, com a escassez de alimento na mata, ele pode frequentar quintais de casas atrás de fruteiras exóticas que frutificam nos períodos de pouco alimento.


  Uma espécie que sempre encontramos nas matas é o pula pula ( Basileuterus culicivorus), pequeno e inquieto, percorre insistentemente as ramagens, moitas, copas e touceiras em busca de pequenos insetos e aranhas, costuma se aproximar bastante das pessoas nas trilhas, comportamento o tal, talvez esteja ligado ao fato que quando as pessoas passam, acabam assustando insetos de seus esconderijos, facilitando o pequeno pássaro a encontrar o seu alimento.


  O ferro velho ( Euphonia pectorallis) é o fringilídeo mais comum de Paranapiacaba, o macho possui coloração escura no dorso e ferrugem no ventre, e como de característica do gênero Euphonia, esta espécie acaba aprendendo a imitar o canto das aves de sua região.


  O arapaçu rajado ( Xiphorhynchus fuscus), junto com o arapaçu verde, são os arapaçus mais comuns das matas do Sudeste, podendo até aparecer em fragmentos isolados, as aves desta família sobem lateralmente o tronco das arvores em busca de artrópodes escondidos entre as cascas, outra característica da família é a associação a bandos mistos durante o período de inverno.


  Os bandos mistos são comuns no inverno, nas áreas de mata, e algumas vezes encontramos espécies incomuns associadas a eles, como o sanhaçu pardo ( Orchesticus abeillei ), espécie incomum que habita a copa das matas em regiões serranas, esta demonstrado na primeira foto da sequencia a cima. O tiê galo ( Lanio cristatus), representado na segunda foto da sequencia, espécie pouco comum na região, geralmente de grande abundancia nas matas de baixada, nesta espécie o macho é negro com uma crista vermelha e região da garganta amarelada. E nas ultimas duas fotos, o arapaçu escamado do sul ( Lepidocolaptes falcinellus ), parecido com o arapaçu rajado, porém de porte maior, esta espécie é geralmente associada a bandos mistos, e busca seu alimento a maneira dos outros arapaçus, e é com ela que encerro este post.















Nenhum comentário:

Postar um comentário