quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Passarinhada no Parque Central

Passarinhada no Parque Central
(14/10/2016)


  A primeira espécie avistada neste dia foi o arapaçu de cerrado ( Lepidocolaptes angustirostris), que como de costume, estava buscando alimento entre as frestas dos troncos das arvores, muito desconfiado neste dia, não deu muitas chances para ser observado.


  Muito territorialista, o tico tico ( Zonotrichia capensis) procurava por poleiros altos e expostos, como cercas e luminárias, de onde vocalizava bastante, em defesa de seu território, assim, este pássaro tem o costume de ser parasitado pelo chopim durante o período reprodutivo.


  O pitiguari ( Cycharhis gujanensis), vasculhava a copa das arvores, no meio da brenha, em busca de artrópodes para se alimentar, esta espécie é razoavelmente comum em área urbana, mas por conta de seus hábitos,  é mais ouvida do que vista.



  Também ocorreu neste dia o primeiro avistamento do caneleiro bordado ( Pachyramphus marginatus) no local, ave comum na mata atlântica, porém, seus avistamentos em área urbana são extremamente ocasionais.


  E também ocorreu o segundo avistamento da maria preta de bico azulado ( Knipoleus cyanirostris) no local, o primeiro individuo visto foi um macho e agora foi avistada a fêmea, este tyranideo migratório costuma aparecer durante o inverno em alguns parques urbanos da cidade. 


  O bem te vi ( Pitangus sulphuratus) observava tranquilamente o movimento do parque de seu poleiro, extremamente oportunista, ficava apenas de vigia, para alguma oportunidade de alimentação fácil que surgisse. 


  Mesmo de porte mais avantajado, o alma de gato ( Piaya cayana) consegue adentrar entre os emaranhados mais densos, em busca de insetos, aranhas e pequenos vertebrados, mas suas presas favoritas são as lagartas urticantes de mariposas, como vemos nas fotos acima, as quais ele bate no galho para remover os pelos antes de ingerir.


  A movimentação do alma de gato pelos emaranhados trazia desconforto para as espécies de aves menores, como o sabiá poca ( Turdus amaurochalinus) que ficou em posição de alerta, durante todo o período que o alma de gato ficou próximo ao ninho.


  E para finalizar a passarinhada, um momento de observação aos pequenos falcões de coleira ( Falco femoralis) que já estavam um pouco maiores, muito atentos porém calmos, observavam os arredores conhecendo cada vez mais o ambiente ao seu redor, davam algumas espreguiçadas nas asas de tempos em tempos, para exercita-las, treinavam voos curtos até o chão e de galho em galho e perseguiam uns aos outros como um treinamento, para ficarem aptos a caçarem no futuro, e depois do treinamento, descansaram todos com as asas abertas, deitados em cima de galhos grossos e altos, para tomarem um pouco de sol.





















Nenhum comentário:

Postar um comentário