terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Passarinhada Dupla

Passarinhada Dupla
( 12/09/2016)

  Esta saída ganhou este nome, pois, foi realizada em dois lugares, começou na Fundação Santo André, depois finalizando no Parque Central!


  A primeira espécie avistada no Centro universitário Fundação Santo André foi a coruja orelhuda ( Asio clamator), que repousava tranquilamente sobre a sombra das folhas da palmeira jerivá, que com sua sombra a protegia do sol.


  Neste dia fez um sol forte, e o chão estava bem quente, fazendo até mesmo com que as aves de hábitos mais terrestres, como o joão de barro ( Furnarius rufus), fossem procurar abrigo no meio dos galhos das árvores, para fugir do calor.


  Mas mesmo com o calor escaldante, a lavadeira ( Fluvicola nengeta), ficava na sentinela, exposta em um galho fino, na árvore de seu ninho, sempre alerta a qualquer movimentação estranha nos arredores, para assim, avisar a fêmea, que estava em silencio na câmara de incubação do ninho. 


  O bentevizinho de penacho vermelho ( Myiozetets similis), permanecia em constante atividade, mesmo com o calor intenso que fazia neste dia, e, do topo de uma árvore, vasculhava os arredores, em busca de pequenos insetos, que capturava em voos curtos.


  Já na parte mais escura do bosque, o silencio reinava, pois o gavião miúdo ( Accipter striatus) estava em constante atividade de caça, buscando pequenos passarinhos para se alimentar, e como pode ser evidenciado pela segunda foto, sua caça foi um sucesso.


  Já se eram 4 horas quando chegamos ao Parque Central, a temperatura estava bem mais amena e o fluxo de pessoas menor no local, fazendo que, até mesmo espécies mais de copa, como o alma de gato ( Piaya cayana), viessem ao chão, para buscar alimento.


  Na sequencia de fotos acima temos respectivamente o anu preto ( Crotophaga ani), o joão de barro ( Furnarius rufus) e o sanhaçu do coqueiro ( Tangara palmarum), todos eles unidos em um arbusto, se alimentando das aleluias de cupim, que quando passavam coando perto, eram rapidamente capturadas em curtos voos.


  Até mesmo a coruja buraqueira ( Athene cunicularia), estava aproveitando a festa das aleluias de cupim, para se alimentar, porém, sempre nas intermediações de sua toca, para não deixar o ninho sozinho e exposto a predadores.


  O canario da terra ( Sicalis flaveola), embora seja uma espécie granívora, aproveita oportunidades como a da aleluia de cupins, para se alimentar de alguns insetos também, porém, por ser uma espécie menor, se alimenta em um local separado, para conseguir capturar as aleluias.


  E para finalizar a passarinhada, um registro do macho do pintassilgo, que ao contrário das outras espécies, estava se alimentando das sementes do margaridão, esse exemplar é diferente dos outros, por possuir uma anilha de identificação, sinal de que era de gaiola ou de algum projeto cientifico.



















Nenhum comentário:

Postar um comentário