sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Passarinhada no Parque Central

Passarinhada no Parque Central
( 21/10/2016)


  A passarinhada começou com o avistamento dos três pequenos falcões de coleira ( Falco femoralis), que já estavam bem ágeis, voando com maestria de arvore em arvore, muito acostumados ainda com a presença humana, permitindo assim, grande aproximação.



  Os frangos d água ( Galinulla galeata) estavam se reproduzindo muito bem nesta temporada, sendo possível encontrar indivíduos jovens da espécie em quase todos os lagos do parque. Diferentes do adulto, o jovem possui coloração mais clara e ausência do escudo frontal vermelho.


  O frango d água azul ( Porphyrio martinica) já havia chegado no parque neste ano, porém em uma lagoa mais densa, e um pouco mais arisco do que nos anos anteriores, se embrenhando na vegetação em qualquer sinal de perigo.


  A jandaia de testa vermelha ( Aratinga auricapillus) continuava a acompanhar a rotina do bando de maracanãs pequenas, seguindo-as durante seus deslocamentos, em busca de árvores frutíferas, que possam lhes fornecer alimento.


  A maria preta de bico azulado ( Knipolegus cyanirostris), continuava nas intermediações do parque, buscando intensamente por alimento, sempre pousando em locais expostos, de onde observava os arredores em busca de insetos, que eram capturados em voos curtos.


  Conforme o dia foi passando, os filhotes de falcão de coleira ( Falco femoralis) foram procurando locais expostos e baixos, onde repousavam tranquilamente e ao mesmo tempo aproveitavam o sol, para se aquecerem.


  Os machos de coleirinhos ( Sporophila caruelensis) já estavam estabelecendo os seus territórios no parque, de onde cantavam em poleiros expostos de pequenos arbustos, defendendo ele de outros machos.


  Neste monitoramento apareceu uma das novidades mais surpreendentes do Parque Central, o talha mar ( Rhynchops niger), ave comum em represas, rios e lagos de grande porte, e incomum em parques urbanos como o Parque Central.


  E para finalizar o monitoramento deste dia, um flagrante da garça branca grande ( Ardea alba), no momento em que perfurou um pequeno acará, embora sujos, os lagos do parque ainda possuem uma grande quantidade de peixes, assim, atraindo aves que se alimentem deles.

Nenhum comentário:

Postar um comentário