sábado, 30 de setembro de 2017

Passarinhada em Paranapiacaba

Passarinhada em Paranapiacaba
( 25/01/2017)


  A primeira ave encontrada nesta passarinhada, já foi registro novo para a minha lista pessoal de Paranapiacaba, o tiziu ( Volatinia jacarina) é uma espécie bem comum em áreas abertas naturais e antrópicas, mas ainda não havia sido registrado lá.


  A segunda ave encontrada também foi um registro novo para a minha lista pessoal de aves de Paranapiacaba, desta vez foi uma espécie mais rara, o gavião pato ( Spizeatus melanoleucus), gavião de grande porte que ocupa o topo da cadeia alimentar.


  A terceira espécie encontrada também foi registro novo para minha lista pessoal das espécies de aves de Paranapiacaba, desta vez foi uma espécie migratória, a andorinha morena ( Alopochelidon fucata), visitante ocasional para a região.


  O tororó é uma pequena espécie de passarinho que hábito pequenos territórios nas bordas baixas das florestas, este individuo é um dos constituintes de um casal que habita a subida para a guarita do Taquarussu.


  A choca da mata ( Thamnophilus caruelescens), assim como tororó, é uma das habitantes das bordas de florestas da região de Paranapiacaba, sendo bem abundante em alguns locais, geralmente encontrada aos casais.


  Incansável seguidor de bandos mistos, o limpa folha coroado ( Philydor atricapillus) é constantemente encontrado no estrato médio e superior da floresta, seguindo bandos de insetívoros e correição de formigas.


  O caneleiro ( Pachyrampus castaneus) habita as bordas de florestas, no estrato mais superior, onde se alimenta de pequenos frutos e invertebrados, seus chamados são bem característicos, costuma viver em casal no seu território.


  Extremamente barulhentos, porém, por conta de viverem na brenha do sub-bosque, os tiês de bando ( Habia rubica) são mais ouvidos do que vistos, eles possuem este nome por sempre estarem se deslocando em grupos na mata, sendo eles monoespecíficos ou bandos mistos.


  Sempre encontrado na estrada do Taquarussu, o cabeçudo ( Leptopogon amaurocephalus), é uma figurinha marcada da região, embora pequeno, sua vocalização estridente pode ser ouvida de longe, facilitando sua localização na mata.


  Esta foto esta extremamente ruim, mas ela é de suma importância, pois mostra uma espécie ameaçada de extinção, sendo seu primeiro registro na região de Paranapiacaba, a choquinha pequena ( Myrmotherula minor) é uma espécie que esta cada vez mais difícil de se encontrar em seu ambiente natural.


  E falando em registros novos para a região, a viuvinha ( Colonus colonus) também foi um achado e tanto para Paranapiacaba, sendo seu primeiro registro para o local, mais uma espécie que gosta de habitar as bordas de florestas.


  A sabiá una ( Turdus flavips) é mais uma espécie migratória que pode ser encontrada na região, costuma chegar a partir de Julho, seguindo a frutificação do palmito juçara, ficando até o final de Março na região.


  O sanhaçu de encontro amarelo ( Tangara ornata) é outra figurinha carimbada por lá, tanto na borda como no interior da floresta, e até mesmo dentro da vila, costuma se deslocar na copa das arvores em busca de frutos, sempre em grupinhos ou bandos mistos.


  Assim como o sanhaçu de encontro amarelo, o tiê preto ( Tachyphonus coronata) é outra figurinha marcada de lá, porém, ao contrário do sanhaçu, ele forrageia estratos superiores da floresta, geralmente em casais.


  O abre asa de cabeça cinza ( Mionectes rufiventris) costuma vocalizar bem alto nas copas das arvores, sua dieta é composta principalmente por frutinhos e insetos, sendo uma espécie pouco rara na região de Paranapiacaba.


  Espécie incomum encontrada nas matas de altitude da Serra do Mar, o fruxu ( Neopelma chrysolophum) é uma espécie de vocalização discreta, passando desapercebido por muitos observadores.


  Em relação a pica-paus, duas espécies tiveram destaque nesta passarinhada, a espécie da primeira foto é o pica pau anão de coleira ( Picumnus temminckii), já a espécie presente nas outras três é o picapauzinho verde carijó ( Veliniornis spilogaster).


  A mata estava cheia de filhotões da temporada reprodutiva passada, alguns deles como este filhotão de pichororé ( Synallaxis ruficapilla), estavam independentes, seguindo sua vida por conta própria e sem o auxilio dos pais.


  O limpa folha miúdo ( Anabacerthia amaurotis) é mais uma espécie incomum que compõe o quadro dos furnarideos florestais de Paranapiacaba, costuma habitar o sub-bosque, onde vive em pequenos grupos familiares.


  E para fechar esta postagem, uma foto didática das duas espécies de andorinhas urbanas mais comuns de Paranapiacaba, a andorinha pequena de casa ( Pygochelidon cyanoleuca) e a andorinha doméstica grande ( Progne cholybea), mostrando a diferença de tamanho entre elas.






























Nenhum comentário:

Postar um comentário